quarta-feira, 25 de maio de 2011

QUANTO COBRAR? E GAROTAS QUE MARCARAM A MINHA VIDA DE DESENHISTA



Olá pessoal hoje estou postando uma ilustração que já tem mais de um mês que terminei e meu traçado “já mudou bastante” nesse meio tempo. Ela é a ilustração "Garotas que marcaram minha vida de desenhista" finalmente pronta, foi feita em técnica mista com predominância da tinta guache (técnica que pretendo explorar mais futuramente). Também estou postando um artigo do blog CACEMA que nos dá uma idéia de como poderíamos elaborar um orçamento na hora de cobrar por nossos serviços. Leiam abaixo:

QUANTO COBRAR


Quanto valemos?

A maior dificuldade dos artistas, design 3d e freelancers em geral, está na hora de colocar o preço justo em seu trabalho. Na verdade não podemos considerar nenhum serviço de arte como um trabalho. É algo mais do que isso. E o cliente que não tem sensibilidade para entender esse mistério deve ser:

  1. Convencido da importância do seu trabalho que envolve talento e criatividade.

  1. Caso ele não entenda que arte não tem preço:
    Descartado de sua lista de clientes mesmo que você venha a perder algum dinheiro com isso.

A síndrome de Robin Hood

Eu, particularmente, adoto a síndrome de Robin Hood em vários serviços que faço. Trata-se mais ou menos de cobrar mais caro de quem pode e mais barato de quem não pode. É claro que existem algumas regras que devem ser levadas em consideração. Vamos dar um exemplo, uma pessoa me procura querendo montar uma firma para alugar decoração de festas. Eu faço todo o material, desde painéis aos arranjos e esculturas da mesa. O cliente está começando com poucos recursos e eu acabo vestindo a camisa dele, entrando no jogo e procurando através de descontos e brindes, ajudá-lo nesse início. Ganhei o cliente, e mesmo que ele venha a me trair mais tarde, o que é bastante comum, ele terá que reconhecer o meu trabalho. Quando ele já estiver com sua empresa montada e faturando você poderá cobrar um preço mais justo ou até um pouco mais. Isso, definitivamente, funciona! É claro que só funciona em transações físicas, onde você está olhando nos olhos do cliente. Essa técnica não funciona quando fazemos transações de trabalho via web, porém é de grande valia, principalmente para quem está começando.

Calculo de valores

O calculo de valores para artistas em geral está intrinsecamente relacionado a alguns fatores muito relevantes:
  1. Todo o processo de aprendizado que te levou a ser um profissional nessa área. Normalmente os artistas são autodidatas e estudam a vida inteira, sempre em busca de novas técnicas. Existem aqueles que preferem fazer alguns cursos que vão acabar mostrando se ele realmente tem talento para as artes. Esse aprendizado é muito difícil e deve ser levado sempre em consideração na hora de calcular valores para o seu trabalho.
  2. O material empregado no trabalho. Leve em consideração todos os materiais que você precisa para realizar o trabalho pretendido. Seja minucioso nesse calculo. Um pincel que uso custa $80,00 e mesmo que eu vá usá-lo centenas de vezes, um dia ele vai acabar e eu terei que comprar outro. Um compressor vai morrer um dia e você terá que gastar para ter outro. O seu PC precisa de mais memória e isso você não consegue pedindo, mas sim pagando.
  3. O tempo que você vai levar para realizar o trabalho. Normalmente estipulamos um tempo inferior ao que realmente precisamos devido à velha e convencida frase: "Isso eu faço rapidinho". O tempo que levamos para criar algum trabalho é sempre superior ao esperado, portanto leve sempre isso em consideração na hora de dar o seu orçamento.
  4. A urgência. Crie uma taxa de urgência que varia de caso em caso. 30% a mais quando a urgência envolver sábados domingos e feriados. 50% a mais quando envolve horas noturnas até 00h00minh. 100% a mais quando envolve horas noturnas sem limite de tempo.
  5. Serviços à domicílio. Uma coisa é você trabalhar em seu ateliê com toda a comodidade e com todas as ferramentas de trabalho ao seu redor. Outra coisa é ter que ir a campo sem saber muito bem o que encontrar e tendo despesas extras de viagem, alimentação e estadia.
Simplificando as regras

  1. Na hora de criar seja um artista apaixonado por sua criação. Crie um vínculo tão profundo a ponto de você se confundir com sua própria arte.
  1. Na hora de calcular o preço seja como uma empresa. Crie tabelas e planilhas. Seja o mais profissional possível.
  1. Na hora de vender o seu trabalho seja um negociante de um produto raro. Um produto muito valioso e exclusivo que só você tem.
Lembre-se

Se você não cobrar o preço justo por seu serviço, estará prejudicando todo o mercado e principalmente a você mesmo.